Reportagens

Fabricação de velas atende setor fúnebre

Funcionário coloca parafina em máquina para criação de velas

O setor funerário ocupa uma parcela da produção da W.A. Indústria Química, ainda que não seja o único mercado da fábrica de velas de Bilac (a 24 km de Araçatuba). Como explica o proprietário Valdir Vian Quederoli, 63 anos, 5% dos produtos são destinados às funerárias e o restante, aos supermercados.

A diferença entre os dois tipos de vela é o formato. "A de funerária é a menor, já que precisa queimar por apenas 30 horas seguidas. As outras queimam por sete dias". As cores são outra forma de distinção entre as duas linhas.

O proprietário Valdir Vian Quederoli afirma que apenas 5% dos produtos são destinados às funerárias

As velas comuns são oferecidas em tonalidade natural, mas recebem também coloração variada, com tons de rosa, verde, vermelho, entre outros. Já os produtos vendidos para utilização em velórios são sempre brancos.

Ao todo, a manufatura derrete entre quatro a cinco toneladas de parafina por mês, sob encomenda. Os produtos abastecem quase todo o noroeste paulista.

Velas comuns são oferecidas em tonalidade natural, mas recebem também coloração variada

Hoje empresário, Quederoli teve o primeiro contato com a empresa cumprindo o mesmo papel que seus quatro atuais funcionários. Ele foi empregado da fábrica de velas por 13 anos, até comprá-la em 1986.

"O dono na época era do ramo de doces e não gostou do segmento de velas. Já eu gostava, tinha experiência com o negócio, por isso resolvi assumir a empresa".

Funcionárias da empresa embalam produto manualmente


Texto: Rafaela Tavares
Fotos: Paulo Gonçalves - 20/08/2015
Edição: Aline Galcino

A morte sem tabus Designed by Templateism | MyBloggerLab Copyright © 2014

Tecnologia do Blogger.